Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/handle/prefix/375
metadata.dc.type: Livro
Title: OS CURSOS D'ÁGUA DE PIRES DO RIO: ANÁLISE DE MOTIVAÇÕES TOPONÍMICAS
Other Titles: The water courses of Pires do Rio: Analysis of toponymic motivations
metadata.dc.creator: Silva, Cleber Cezar da
metadata.dc.description.resumo: A nomeação é uma atividade inerentemente humana, ao nomear os seres do mundo, o homem, além de os categorizar, passa a conhecê-los, a reconhecê-los, pois a nomeação é uma espécie de batismo que inaugura a existência de algo ou de alguém ou, em relação à toponímia, de um lugar. É o nome que identifica e individualiza os seres e, especialmente, os lugares. Aliás, os lugares se tornam únicos principalmente pelo nome que carregam. Ocorre que, os lugares, ao serem nomeados, inúmeros fatores podem influenciar o nomeador, são esses fatores que juntos, constituem a motivação que imprimem ao signo toponímico uma marca representativa do recorte cultural feito pelo nomeador no ato da nomeação. Esse recorte envolve outros tantos fatores que subjazem aos designativos de lugares e constituem mormente, objeto dos estudos toponímicos. Nesse sentido, podese dizer que este trabalho, aqui apresentado, é o resultado de uma pesquisa que, de certa forma, trilhou os caminhos pela busca dos elementos naturais ou não que chamaram a atenção dos primeiros nomeadores da região de Pires do Rio ao se depararem com os abundantes recursos hídricos que ajudaram, por sua vez, a formar os primeiros aglomerados urbanos e rurais do lugar. Deslindar a motivação toponímica é revelar inúmeros aspectos que estão na base da inter-relação língua, cultura e ambiente, pois um topônimo, fato linguístico que é, guarda em si uma significação precisa oriunda de aspectos físicos ou culturais. A escolha pelos hidrotopônimos permeia-se pela relação vital do homem com o ambiente já que a água é essencial para sua sobrevivência. Ao chegar a um lugar, o homem busca aquele local que tem uma fonte de água, de vida, de sobrevivência. O próximo passo é dar um nome; entende-se assim, que uma fonte, que um rio, um riacho, um ribeirão, um córrego são lugares que, uma vez nomeados, carregam as inúmeras memórias do lugar. Com essa perspectiva, Cleber Cezar da Silva consegue inter-relacionar áreas do conhecimento humano com vistas a estabelecer elos epistemológicos a fim de ampliar as visões sobre um fato linguístico já descrito e analisado por outras áreas do conhecimento, mas restrito a um único nível de análise linguística. O que possibilita também considerar novos aspectos da linguagem dentro de uma visão interdisciplinar, que pode trazer, entre tantas contribuições, o fato de entendê-los na totalidade, como em uma rede de relações. Na verdade, o estudo trouxe ou ofereceu novas maneiras de se pensar o fenômeno da nomeação de lugares estabelecendo relações com inúmeras outras atividades humanas. É importante enfatizar a relevância deste estudo para a área da Linguística de uma maneira geral e, mais especificamente, para a área dos estudos onomástico toponímicos e, ainda para a Geografia, História, Antropologia, porque consegue entrelaçar fatos antes vistos de maneira independente e dissociada. Este estudo consegue ultrapassar o elementar, ou seja, vai além dos dados semânticos, lexicais, origem/etimologia dos termos, avança além dos motivos sócio-histórico-culturais vividos pelo povo, que se fizeram pertinentes na definição do problema. Entre conversas e risos e perguntas e respostas, o problema foi tomando forma. De acordo com Silva, as controvérsias em torno dos nomes dos elementos hídricos são tantas que o interesse pelo problema advém quase que naturalmente. Perto de Pires do Rio-GO, cerca de uns 3 km da cidade, há um determinado ribeirão, cujo topônimo é Pedro Teixeira, mas na verdade esse nome é dado à ponte que está sobre o ribeirão e foi construída pelo fazendeiro Sr. Pedro Teixeira, embora o nome que se apresenta na carta topográfica seja ribeirão Sampaio, um caso metonímico? Assim, essa e outras tantas perguntas constituem objeto de estudo IRUPDOL]DGDV QD TXHVWmR TXDO D RULJHP GRV QRPHV GRV FXUVRV G¶iJXD Ga cidade de Pires do Rio? Os nomes são os oficiais atribuídos pelo IBGE, ou é a comunidade do lugar que os nomeia a partir de fatos que lhe chamaram atenção? O que prevalece, o topônimo espontâneo ou o catalogado? O lugar é (re)conhecido de que forma? Inicialmente, o presente estudo, parte da hipótese de que, devido ao seu caráter não arbitrário, a descrição do topônimo possibilita reconhecer fatores vinculados à motivação que subjaz à escolha dos nomes de lugares; o que pode favorecer o levantamento de fatores sócio-históricos, culturais e DPELHQWDLV QHFHVViULRV j DQiOLVH OLQJXtVWLFD GRV QRPHV GRV FXUVRV G¶iJXD como índice da estreita relação entre língua e cultura. Este é um dos embates fundantes deste estudo. Propõe-se assim uma trajetória que vai desenrolando os fios intricados da teia que leva à escolha dos nomes de lugar, tecidos há tempos pelos primeiros nomeadores, conforme os seguintes procedimentos: i) remapeamento dos cursos hídricos por do elenco de seus topônimos para cartografar os mapas da bacia hidrográfica e dos topônimos seguindo a metodologia do Projeto ATB; ii) verificação, mediante a análise linguística dos topônimos, a motivação referente à cultura e à história, principalmente dos aspectos físicos dos lugares que iniciaram o processo de nomeação dos ULRV FyUUHJRV ULEHLU}HV H TXHGDV G¶iJXD GR PXQLFtSLR GH 3LUHV GR 5LR-GO (evidenciando o vínculo língua, ambiente e cultura); iii) contribuição para o desenvolvimento dos estudos toponímicos em Goiás. Interessante também ressaltar que a metodologia de pesquisa foi muito bem explicitada, isso evidencia o caráter científico dos estudos toponímicos e a necessidade premente de aprimoramento e revisão epistemológica e de métodos na área linguística. Em suma, a metodologia é de natureza documental, de abordagem qualitativa, para o levantamento dos dados, uma vez que a constituição (sub-região, limites e fronteiras) dos lugares está registrada em documentos públicos e o método de pesquisa é o de indução, com ênfase para a observação do fazer onomasiológico, combinado a outros métodos, especialmente o Wörter und Sachen (palavras e coisas). O método onomasiológico se constitui do estudo das designações com o objetivo de estudar os diversos nomes atribuídos a um conceito. Enfim, ao recuperar as memórias adormecidas subjacentes aos nomes dos lugares de Pires do Rio, Silva, traz à tona ou mesmo tornam audíveis as vozes do passado, aquele passado que veio pelos trilhos da Estrada de Ferro *RLiV DQWHV PHVPR GR WUHP SXODU D SRQWH ³(SLWiFLR 3HVVRD´ DQWHV mesmo GD (VWDomR ³3LUHV GR 5LR´ VH ID]HU DEDUURWDGD GH JHQWH IHOL] VDXGDQGR D cidade que se fundava em 09 de novembro de 1922, mas que já existia muito antes lá pelas bandas do rio Corumbá em noites de lua cheia com a linda ³7HWHLD GR &RUXPEi´ Ainda que se trate de um trabalho científico, são essas reminiscências que habitam os topônimos revisitados na pesquisa de Silva, porque evocam as motivações há muito esmaecidas tanto pelas mudanças sociais como pelas mudanças por que passou a língua no decorrer da história, mas motivações passíveis de serem recuperadas pelas pesquisas toponímicas.
Abstract: Appointment is an inherently human activity, in naming the beings of the world, man, in addition to categorizing them, comes to know them, to recognize them, for naming is a kind of baptism that inaugurates the existence of something or someone or, in relation to toponymy, of a place. It is the name that identifies and individualises beings and especially places. In fact, the places become unique mainly by the name they carry. It happens that, when nominated, numerous factors can influence the nominator, these factors together are the motivation that give the toponymic sign a mark representative of the cultural cut made by the nominator in the act of naming. This clipping involves so many factors that underlie the designative of places and are, in fact, the object of the toponymic studies. In this sense, it can be said that this work, presented here, is the result of a research that, in a certain way, traced the paths by the search for the natural elements or not that caught the attention of the first nominators of the Pires do Rio region when they came across with the abundant water resources that helped, in turn, to form the first urban and rural settlements of the place.
Keywords: Toponímica
Língua - cultura
Linguagem
Fato linguístico
metadata.dc.subject.cnpq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Instituição extra IF Goiano
metadata.dc.publisher.initials: Instituição extra IF Goiano
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.identifier.doi: Novas Edições Acadêmicas
URI: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/handle/prefix/375
Issue Date: 2017
Appears in Collections:E-books publicados em outras editoras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Livro - Cleber cursos dagua.pdf9,96 MBAdobe PDFView/Open
TCAE - Termo de autorização Cleber.pdf1,05 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.