Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ifgoiano.edu.br/handle/prefix/543
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Cabral, Pablo Diego Silva-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3129672877649887pt_BR
dc.creatorHilário Neto, João-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4059908438735126pt_BR
dc.date.accessioned2019-08-08T18:53:42Z-
dc.date.available2019-08-08-
dc.date.available2019-08-08T18:53:42Z-
dc.date.issued2019-08-06-
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifgoiano.edu.br/handle/prefix/543-
dc.description.abstractSaccharin sorghum culture is gaining popularity in many countries as an alternative to biofuel production due to its high production of lignocellulosic biomass and fermentable sugars. The number of cultivars in the Brazilian market is still very small, due to the few breeding programs and the low demand for the sugarcane industry, as well as the lack of genotype and environment interaction performance. Studying adaptability and phenotypic stability allows the identification of the effects of G × E interaction at genotype and environment level, showing the relative contribution to the total interaction. The objective of this work was to evaluate saccharin sorghum cultivars for their adaptability and stability in five environments of Brazil for the variables Ethanol, Dry Matter and Fresh Matter of 20 saccharin sorghum cultivars for the safrinha by the AMMI method. In this context, saccharin sorghum is a promising alternative for complementing the supply of raw material for the sugar and alcohol industry, which has a high content of directly fermentable sugars contained in the stem, propagation via seeds, efficiency in the use of inputs and water. and has a short cycle. The characteristics evaluated were production of fresh matter, dry matter and soluble solids content for determination of ethanol production. However, there was specific adaptability for ethanol in environment A4 and fresh matter in environment A1. Phenotypic stability of some cultivars was observed for the variables.pt_BR
dc.description.resumoA cultura do sorgo sacarino vem ganhando popularidade em muitos países, como uma alternativa à produção de biocombustíveis devido à sua elevada produção de biomassa lignocelulósica e açúcares fermentáveis. A quantidade de cultivares no mercado brasileiro ainda é muito pequena, devido aos poucos programas de melhoramento e a baixa procura pela indústria sucroalcoleira, além do desconhecimento da performance interação genótipo e ambiente. Estudar a adaptabilidade e a estabilidade fenotípica permite a identificação dos efeitos da interação G×E ao nível de genótipo e ambiente, mostrando a contribuição relativa para a interação total. Objetivou-se com esse trabalho avaliar cultivares de sorgo sacarino quanto a sua adaptabilidade e estabilidade em cinco ambientes do Brasil para as variáveis Etanol, Matéria seca e Matéria fresca, de 20 cultivares de sorgo sacarino para a safrinha pelo método AMMI. Nesse contexto, o sorgo sacarino apresenta-se como alternativa promissora para complementação no fornecimento de matéria-prima para indústria sucroalcooleira, sendo que esse tem alto teor de açúcares diretamente fermentáveis contidos no colmo, propagação via sementes, eficiência no uso de insumos e de água e possui ciclo curto. As características avaliadas foram produção de Matéria Fresca, Matéria Seca e Teor de Sólidos Solúveis para determinação de produção de Etanol. Contudo, houve adaptabilidade específica para etanol no ambiente A4 e matéria fresca no ambiente A1. Foi observada estabilidade fenotípica de alguns cultivares para as variáveis.pt_BR
dc.description.provenanceSubmitted by João Hilario Neto (2015102200240110@ifgoiano.edu.br) on 2019-08-08T18:22:07Z No. of bitstreams: 1 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE SORGO SACARINO VIA AMMI (Hilário, 2019).pdf: 603583 bytes, checksum: 269069c10ec4d5ea474152474f39a388 (MD5)en
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Johnathan Diniz (johnathan.diniz@ifgoiano.edu.br) on 2019-08-08T18:52:46Z (GMT) No. of bitstreams: 1 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE SORGO SACARINO VIA AMMI (Hilário, 2019).pdf: 603583 bytes, checksum: 269069c10ec4d5ea474152474f39a388 (MD5)en
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Johnathan Diniz (johnathan.diniz@ifgoiano.edu.br) on 2019-08-08T18:53:12Z (GMT) No. of bitstreams: 1 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE SORGO SACARINO VIA AMMI (Hilário, 2019).pdf: 603583 bytes, checksum: 269069c10ec4d5ea474152474f39a388 (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-08-08T18:53:42Z (GMT). No. of bitstreams: 1 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE SORGO SACARINO VIA AMMI (Hilário, 2019).pdf: 603583 bytes, checksum: 269069c10ec4d5ea474152474f39a388 (MD5) Previous issue date: 2019-08-06en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherInstituto Federal Goianopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentCampus Rio Verdept_BR
dc.publisher.initialsIF Goianopt_BR
dc.relation.referencesALLARD, R.W.; BRADSHAW, A.D. Implications of genotype environment interactions in applied plant breeding. Crop Science, v.4, p.503-508, 1964. AZEVEDO, M. S.; SANTOS, R. V. O; MAGALHÃES, T. V. Produção de etanol no Brasil. Revista de divulgação do Projeto Universidade Petrobras e IF Fluminense, v. 2, p. 151-154, 2012. BNDES; CGEE; FAO; CEPAL. Bioetanol de cana-de-açúcar Energia para o desenvolvimento Sustentável. 2016. Disponível em:< http://www.cgee.org.br/ publicacoes/bietanol.php>. Acesso em: 10 de out. de 2018. CAVALCANTE, T. J.; GIONGO, P. R.; BARBOSA, K. P.; NASCIMENTO JÚNIOR, L. F.; RODRIGUES, A. A.; VITAL, R. G. Características agronômicas de cultivares de sorgo sacarino em diferentes épocas na região do Sudoeste de Goiás, Brasil. Revista ESPACIOS. v. 38, n. 46. 2017. CEMIG. Companhia Energética de Minas Gerais. 2012. Belo Horizonte: Cemig, 2012. 369: ilust. Disponível em: <http://www.cemig.com.br/ptbr/A_Cemig_e_o_Futuro/inovacao/Alternativas_Energeticas/Documents/ Altern ativas%n20Energ%C3%A9ticas%20-%20Uma%20Visao%20Cemig.pdf.> Acesso em 19 de jan. de 2019. CERES. Sorgo Sacarino tem vantagens que o diferenciam da cana de açúcar. 2010. Disponível em: < http://www.ceres.net/ceressementes/Etanol/ EtanolVantagens.html. Acesso em 10 de jan. de 2019. CHANNAPPAGOUDAR, B. B.; BIRADAR, N. R.; PATIL, J. B.; HIREMATH, S. M. Assessment of sweet sorghum gentypes for cane yield, juice characters and sugar levels. Karnataka Journal of Agricultural Sciences, v. 20, n. 2, p. 294-296, 2007. CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de cana-de-açúcar. – v. 1 – Brasília: Conab, 2013 - v.1. Disponível em: <http://www.conab.gov.br> Acesso em 10 de abr. 2019. CORSINO, M. C. Embrapa retoma produção de sorgo sacarino:A cultivar é uma opção na entressafra da cana-de-açúcar. Disponível em: <http://www.cpt.com.br/noticias/embrapa-retoma-producao-de-sorgo-sacarino>. Acesso em: 10 de nov. 2018. DINIZ, G. M. M. Produção de sorgo (Sorghum bicolor L. Moench): aspectos gerais. Dissertação (Mestrado em Melhoramentos Genético de Plantas) – Recife – PE, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife – UFRPE, 97p, 2010. DUARTE, J. B.; VENCOVSKY, R. Interação genótipos x ambientes: uma introdução à análise “AMMI”. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética, 1999. 63 p. (Série Monografias, 9). DUARTE, J.B.; VENCOVSKY, R. Interação genótipos x ambientes: uma introdução à análise “AMMI”. Ribeirão Preto:Sociedade Brasileira de Genética, 1999. 60p. DURÃES. F. O. M. Agroenergia em revista Sorgo sacarino: tecnologia agronômica e industrial para alimentos e energia. Sorgo sacarino: desenvolvimento de tecnologia agronômica. Agroenergia em revista. Brasília: Embrapa, 3. ed. p. 7, 2011. EMYGDIO, B. M. Produção de etanol a partir do sorgo sacarino. 2010. Artigo em Hypertexto. Disponível em: http://www.infobibos.com/Artigos/ 2010 4/sorgo/index.htm>. Acesso em 10 jan. 2019. FERREIRA, O. E. Produção de etanol a partir de sorgo sacarino com tratamento enzimático. Tese (doutorado) – Jaboticabal – SP. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2015. FONTES, M. M; SILVA, B. A.; DANTAS, J. P.; SILVEIRA, D. C.; CAVALCANTI, M. T. Caracterização físico-química do melado de sorgo granífero sacarino [Sorghum biocolor (L) Moench]. Revista Verde (Mossoró – RN – Brasil) v.6, n.1, p. 216 – 219 2011. FORNASIERI FILHO, D.; FORNASIERI, J. L. Manual da cultura do sorgo. Jaboticabal: Funep, 2009. GARCIA, J. C. Avaliação econômica da produção de álcool em microdestilarias a partir de sorgo sacarino e cana-de-açúcar. In: GORGATI NETTO, A.; CRUZ, E. R. (Ed.). Experiência brasileira de pesquisa econômica em energia para o setor rural. Brasília: Embrapa-DEP, 1984. p.45-54. GAUCH, H.G.; ZOBEL, R.W. Identifying mega-environments a targeting genotypes. Crop Science, Madison, v.37, p. 311-326, 1997. GODSEY, C. B.; LINNEMAN, J.; BELLMER, D.; HUHNKE, R. Developing row spacing and planting density recommendations for rainfed sweet sorghum production in the southern plains. Agronomy Journal, Madison, v. 104, n. 2, p. 280-286, 2012. GONÇALVES, L. C.; RODRIGUES, N. M.; NOGUEIRA, F. S.; BORGES, A. L. C. C.; ZAGO, C. P. Silagem de sorgo de porte baixo com diferentes teores de tanino e de umidade no colmo. III – Quebra de compostos nitrogenados. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 51, n. 6, p. 571-576, 1999. HONGYU, K; SILVA, F. L; OLIVEIRA, A. C. S; SARTI, D. A; ARAÚJO, L. B; DIAS, C. T. S. Comparação entre os MODELOS AMMI e GGE BIPLOT para os dados de ensaios multi-ambientais. Rev. Bras. Biom., São Paulo, v.33, n.2, p.139-155, 2015. LANDAU, E. C.; SANS, L. M. A. Cultivo do Sorgo. Embrapa Milho e Sorgo. Sistemas de Produção, 2ISSN 1679-012X Versão Eletrônica Versão Eletrônica 4ª edição Set./2008. Disponível em: <http://www.cnpms.embrapa.br/ publicacoes /sorgo_4_ed/clima.htm> Acesso e, 10 de abril de 2019. LIU, R.; LI, J.; SHEN, F. Refining bioethanol from stalk juice of sweet sorghum by immobillized yeast fermentation. Renewable Energy, Oxford, v. 33, p. 1130-1135, 2008. MAGALHÃES, R. T.; GONÇALVES, L. C.; BORGES, I.; RODRIGUES, J. A. S.; FONSECA, J. F. Produção e composição bromatológica de vinte e cinco genótipos de sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench). Arq.Bras.Med. Vet Zoo, v, 62, p.747-751, 2010. MAY, A.; ALBUQUERQUE, C. J. B.; SILVA, A. F.; PEREIRA FILHO, I. A. Manejo e tratos culturais In: MAY, A.; DURÃES, F. O. M.; PEREIRA FILHO, I. A.; SCHAFFERT, R. E.; PARRELLA, R. A. C. (Ed.). Sistema Embrapa de produção agroindustrial de sorgo sacarino para bioetanol: Sistema BRS1G-Tecnologia Qualidade Embrapa. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, p. 22-31, 2012. PARRELLA, R. A. da C.; SCHAFFERT, R. E. Cultivares. In: MAY, A.; DURÃES, F. O. M.; PEREIRA FILHO, I. A.; SCHAFFERT, R. E.; PARRELLA, R. A. da C. (Ed.). Sistema Embrapa de produção agroindustrial de sorgo sacarino para bioetanol: Sistema BRS1GTecnologia Qualidade Embrapa. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2012. p. 14-22. (Embrapa Milho e Sorgo. Documentos, 139). PEREIRA FILHO, I. A., PARRELLA, R. A. D. C., MOEREIRA, J. A. A., MAY, A., VANDER FILLIPE, D. S., & CRUZ, J. C. Avaliação de cultivares de sorgo sacarino [Sorghum bicolor (L.) MOENCH] em diferentes densidades de semeadura visando a características importantes na produção de etanol. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v. 12, n. 2, p. 118-127, 2013. RAMALHO, M. A. P.; SANTOS, J. B.; ZIMMERMANN, O. Genética quantitativa em plantas autógamas. Goiânia: UFG, 1993. 271 p. REDDY, B. V. S., RAMESH, S., REDDY, P. S., RAMAIAH, B., SALIMATH, P. M. & KACHAPUR, R. Sweet sorghum – a potential alternate raw material for bioethanol and bio-energy. International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics (ICRISAT), 2005. REEDY, B.V.S; REDDY, P. S. Sweet Sorghum: Characteristics and Potential. International Sorghum and Millets. Newesletter. Índia, v.44, p.26-28, 2003. RESENDE, M. D. V. de. Matemática e estatística na análise de experimentos e no melhoramento genético. Colombo: Embrapa Florestas, 2007. ROSA, G. F.; OLIVEIRA, D. A.; SILVA, F. L.; SEGRI, N. J.; HONGYU, K. Verificação da adaptabilidade e estabilidade em milhos pelo método AMMI. Biodiversidade - v.16, n3, p.68, 2017 UNICA. Números finais da safra 2014/2015 e iniciais da nova safra 2015/2016. 2015. Disponível em<http://www.unica.com.br/noticia/27460993920325965467/num eros-finais-da-safra-2014-por-cento2F2015-e-iniciais-da-nova-safra-2015-porcento2F2016/ 2015>. Acesso em 10 abr. de 2019. URIBE, R. A. M.; TICIANELI, LUCIAN C.S. Influência do estande na produtividade de sorgo sacarino. Diálogos & Ciência, v.34, p.10-12, 2014. ZEGADA-LIZARAZU, W.; MONTI, A. Are we ready to cultivate sweet sorghum as a bioenergy feedstock? A review on Field management practices. Biomass and Bioenergy, Oxford, v. 40, p. 1-12, 2012. ZOBEL, R.W.; WRIGHT, M.J.; GAUCH, H.G. Statistical analysis of a yield trial. Agronomy Journal, v.80, p.388-393, 1988.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectInteração genótipo e ambientept_BR
dc.subjectMelhoramento genéticopt_BR
dc.subjectSorghum bicolor L.pt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA::FITOTECNIA::MELHORAMENTO VEGETALpt_BR
dc.titleADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE SORGO SACARINO VIA AMMIpt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Cursopt_BR
Appears in Collections:Bacharelado em Agronomia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc_João Hilário Neto.pdfTrabalho de Conclusão de Curso589,44 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools